Google+ Followers

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Tempo de Avaliar – SARESP 2009

A avaliação escolar será sempre um tema complexo que permite diversas reflexões, por se constituir em procedimento inerente ao trabalho pedagógico, independentemente da modalidade ou curso oferecido por qualquer tipo de escola.

Passaremos a seguir alguns pontos e lembretes para reflexão do tema bem como dicas ou sugestões que possam apresentar conteúdos relevantes às reflexões e discussões do assunto.


Vamos pensar um pouco. O que vamos avaliar?
Inicialmente, é preciso ter clareza do objetivo de avaliação. Vamos considerar como ponto de partida as quatro competências básicas fundamentadas nos PCN: pessoais, relacionais, cognitivas e produtivas.Partindo do pressuposto de que competências ou habilidades são desenvolvidas ao longo da escolaridade, é preciso compreender e acompanhar o processo que se dará a cada etapa do ano letivo.

Observar, mensurar e registra tais momentos requer do professor estudos e trocas de experiências sobre o assunto. Não é tão fácil porém, perfeitamente possível.
Segue abaixo uma lista de competências relevantes, apresentadas pelo Instituto Ayrton Senna, para o processo de aprendizagem do aluno:
Competências pessoais: auto-conhecimento, auto-estima, autoconfiança, querer-ser, auto-proposição, visão do futuro, autodeterminação, resiliência e auto-realização.
Competências relacionais: reconhecimento do outro, convívio com a diferença, interação, comunicação, afetividade, convívio em grupo, planejamento/trabalho/decisão em grupo, compromisso com o coletivo, com o ambiente e a cultura.
Competências cognitivas: leitura e escrita, cálculo e resolução de problemas, análise e interpretação de dados/fatos/situações, acesso à informação acumulada, interação crítica com a mídia, autodidatismo, didatismo e construtivismo.
Competências produtivas: criatividade, gestão e produção do conhecimento, polivalência e versatilidade, profissionalização, auto-gestão, co-gestão, heterogestão.
Sugerimos pesquisar e discutir esses temas ou termos e repensar a avaliação na sua escola.Este é um dos primeiros pontos propostos para discussão. Postaremos textos de continuidade ao assunto.

Existem momentos em que o que planejamos não saiu como esperávamos, as metas não foram atingidas, as fraquezas se evidenciam. A equipe fica numa situação difícil onde todos constroem suas justificativas ou pior ainda, buscam-se culpados pelos erros e fracasso. Trata-se de um momento muito difícil onde as lideranças devem agir com rapidez e coerência e consistência.
Vão aí algumas dicas para melhorar a liderança nesses momentos difíceis:
-Fique atento ao que possa vir: É preciso conhecer as novidades tanto formais quanto legais, bem como os critérios que desses aspectos são demandados. Isso é muito importante para evitar aquelas “surpresas” desagradáveis. Identifique o próximo desafio ou meta, da forma mais concreta possível, e envolva a equipe nele. Construa um plano de ação coletivo, que possa conquistar a confiança de todos, dando uma razão para seguir em frente.
-Aprenda com os erros: Errar é humano e acertar é ainda mais humano. Não tenha medo dos erros ou fracassos. São eles que nos motivam a avançar e a aprender. Descubra os pontos fracos e ataque-os imediatamente para que não se espalhem no interior da equipe.
-Reforce os pontos fortes: Destaque os pontos fortes de sua equipe e invista neles, valorizando cada aspecto. E faça isso rapidamente, enfatizando as qualidades de cada membro. Faça das falhas pontos de motivação para novas aprendizagens.
-Ouça mais: ouvir a equipe é fundamental. Ouça mais os comentários, as observações, as críticas, os desejos, os problemas e as propostas e sugestões. Converse e puxe conversa, ganhe confiança e fale menos para ser ouvido.-Resolva: Pare de mandar e lidere. Liderar é resolver. Portanto resolva os problemas ou peça soluções para isso. Tem sempre alguém na equipe ou fora dela que tem sempre algo a contribuir nas soluções de diversos problemas.
-Renove os recursos e procedimentos: Analise os procedimentos e os recursos. Descarte o que não funcionou, corrija os disponíveis e aperfeiçoe os que trazem resultados. Se possível integre-os o quanto antes. Lembre-se de que novos problemas se resolvem com novas ferramentas.
-Reconheça o esforço de todos: Mesmo que não tenha atingido as metas esperadas, valorize o esforça de cada membro da equipe. Destaque sempre os pontos positivos de cada um e estimule-os à superação, pois todas as pessoas são dotadas desses aspectos.
-Mantenha-se motivado: Dê exemplo. Mantenha sua mente sempre com pensamentos positivos e motivadores. É possível assimilar as perdas ou derrotas, levantar a cabeça e seguir em frente, mostrando que a natureza humana é capaz de superar-se cada vez mais.


A avaliação de desempenho é um processo que jamais deve passar despercebido pela comunidade escolar, mesmo que mexa radicalmente com a zona de conforto de seus intergantes.Esse processo deve ser encarado como uma ferramenta indispensável para aperfeiçoar o trabalho das equipes, da qualidade do ensino ministrado e da Proposta Político Pedagógica da escola. Porém, se os resultados sofrerem análises equivocadas poderão gerar decisões equivocadas, colocando em risco as possibilidades das mudanças necessárias para superação das metas propostas.Nesse sentido, a comunidade escolar deve aproveitar o momento para realizar uma grande discussão dos resultados positivos ou negativos. Caso contrário, estará perdendo uma grande oportunidade em identificar problemas, corrigir rumos e refletir sobre a produtividade e a qualidade do trabalho pedagógico.O momento é propício e muito rico para criar novos desafios, propor intervenções, fortalecer a equipe, elaborar novos projetos.

É tempo de despertar, de agir, e não ficar esperando milagres, pois você é quem faz o milagre.Então, o que você está esperando. Nada a temer. Mexa-se!

Nenhum comentário: