Google+ Followers

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Que sujeito é este?




Caminhando contra o vento sem lenço e sem documento no sol de quase dezembro eu vou... Alegria, Alegria Entre classes de sujeitos que a Língua Portuguesa dispõe, há três que, ao que tudo indica, causam mais dúvidas. São eles: sujeito oculto, indeterminado e inexistente.
Sujeito indeterminado – É quando perguntamos à frase quem fez tal ação a resposta for o pronome eles. Reconhecemo-lo quando o verbo está na 3ª pessoa do plural ou do singular, sendo que no singular deve ser acompanhado pelo pronome se ... Disseram que eu voltei americanizada com o burro do dinheiro, que estou muito rica, que não suporto mais o breque do pandeiro e fico arrepiada ouvindo uma cuíca... Cantada por Caetano Veloso. No caso, quem disse que eu voltei americanizada? Eles. Portanto, temos um sujeito que é indeterminado. Sujeito inexistente – Como o próprio nome sugere, o sujeito inexiste, ou seja, a oração não possui sujeito. Ocorre principalmente quando temos verbos na 3ª pessoa do singular acompanhando fenômeno da natureza e com o verbo chegar no imperativo. “... Chega de saudade. A realidade é que sem ela não há mais paz, não há beleza, é só tristeza e melancolia que não sai de mim, não sai de mim, não sai...Chega de saudade/Composição: Tom Jobin / Vinicius de Moraes. Mas cuidado, pois se o fenômeno da natureza compuser oração de sentido figurado, esta não pertencerá ao que chamamos de oração sem sujeito, enquadrando-se em outra classe de sujeito. Assim que o dia amanheceu lá no mar alto da paixão, dava pra ver o tempo ruir, cadê você, que solidão, esquecer ai de mim!... Oceano/Composição: Djavan/ Chico Buarque


Nenhum comentário: